segunda-feira, 10 de junho de 2013

Bolachas poéticas

(...) morrer de amor não passava de uma liberdade poética.
Memória das minhas putas tristes - Gabriel García Márquez

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dá aí a tua opinião