quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Bolachas e o crime perfeito

Veneno
Mas um veneno daqueles que demora a actuar porque assim a pessoa tem tempo de ir dar uma voltinha e comer mais umas porcarias e então despistaria. Só para prevenir, não poderia haver ligação entre nós. Ela pedia-me a mim e eu pedia-lhe a ela. Mantínhamos contacto por cartas que queimávamos assim que respondêssemos. Sem rasto possível
Para aplicação do veneno nada mais fácil do que comprá-lo numa loja qualquer corrente, em dinheiro. Nada de fazer levantamentos idiotas à pressa e muito menos de receber transferências de dinheiro, quem vê um mínimo de filmes sabe como eles são sempre apanhados de maneiras completamente idiotas que poderiam ter evitado. Pôr o veneno num pacotezinho de açúcar, daqueles normais. Num dia corrente de trabalho servir um café à pessoa em questão e, na ida ao açucareiro "ai jesus que deixei cair a caixa cheia de pacotinhos todos iguais e olha este aqui no meio dos outros todos". Sem espalhafato, sem nervos, sem olhar em volta, sem desligar câmaras de segurança. E se pensarmos bem mais de metade dos sítios não tem câmaras.
Como se fosse a coisa mais normal do mundo.

Eu sou boa pessoa, juro.
E caros senhor do CSI, isto foi escrito na mais pura bricadeira. Se eu fosse realmente fazer isto não publicava não era? Sejamos inteligentes! 
Para mais esclarecimentos criminais favor de contactar-me na caixa de comentários, obrigada.

3 comentários:

  1. Ahhh, que maldade!

    (Se quiseres ensaiar em alguém, só para ter a certeza de que resulta antes de matares a pessoa que queres matar, eu posso facultar-te o contacto de 4 ou 5 criaturas que aposto que teriam todo o prazer em servir-te de cobaias. Vá, elas não, mas eu sim, adoraria que elas o fossem!) :D

    ResponderEliminar
  2. Lia: And we love you too!!! (isto é de uma cena qualquer americana)
    Patrícia: maldade? nenhuma! xD Dá-me essa lista então, posso sempre juntar à minha ahaha

    ResponderEliminar

Dá aí a tua opinião