quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Bolachas automáticas

Ela "gosta" de uma página que se chama "eu quero um amor verdadeiro".
Automaticamente penso: então deixa de ser pega.
É que mesmo após mais de um ano, eu continuo a odiar-te não gostar de ti com a mesma força. Provocas-me aquele sentimentozinho de nojo.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Bolachas e o PPC'12


Abriu a época de caça aos  dos postais.
Para quem gosta de receber postais daqueles verdadeiros em papel super fixes e quiçá um presente (eu tive essa sorte o ano passado. obrigada à menina que mo mandou ahah), é favor participar no Polar Post Crossing 2012, autoria da famosa Pólo Norte.
Eu já me inscrevi, e tu?

Bolachas de chef

Quem disse que o lugar das mulheres era na cozinha... não me conhecia de certeza.
Sou a pior cozinheira que conheço.

Bolachas e o Okahué

-O que é o Okahué? - perguntou Diego.
-São as cinco virtudes essenciais: honra, justiça, respeito, dignidade e coragem.
-Eu quero-as todas, avó.
Zorro, o começo da Lenda -Isabel Allende

domingo, 28 de outubro de 2012

Bolachas no chat

Não tenho ninguém a falar comigo no chat. Assim que decido ir estudar aparecem 40 almas a querem conversa. 
Olha m'esta...

Bolachas estreladas

Na vida, quem perde o telhado em troca ganha as estrelas.

sábado, 27 de outubro de 2012

Bolachas no carro

Ele convidou-nos para o aniversário dele, numa discoteca que vai fazer uma festa. Prossegue-se a seguinte conversa no facebook:
Ela: Ai, alguém tem de me levar a mim e à minha amiga.
Ele: Eu nem a convidei... Só tenho 3 lugares no carro.
Eu: Eu, o A. e o R. . está feito. Josefina (ela), vais a pé  ahaha
Ela: Ai são assim?! Então não vos arranjo entradas à pala na festa!
Ele: Josefina, eu não pago nada...
Eu: Nem eu. A festa É DO MEU PRIMO. Eu não pago  AHAHA

Adorei a tentativa dela de fazer-me chantagem. E depois foi humilhada em público. Ninguém te manda teres a mania.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Bolachas a partir de quando?

Se soubesses que ias morrer amanhã terias ido hoje às aulas?
e se morresses daqui a uma semana?
Ou daqui a um ano?
Fica a pergunta: A partir de quando é que compensava ir às aulas? Sim, porque é giro aprender.
Nós concluímos que a partir de 2 anos já compensava.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Bolachas my darling

Das coisas giras acerca da minha playlist de música: Depois de uma música toda calminha, daquelas que me trás memórias bonitas do meu campo espiritual fantástico... Aparece uma música dos Metallica super agitada que rebenta com a cabeça a qualquer um. 
E eu assusto-me com a mudança. No meio da rua. E salto de susto. E depois começo a rir-me. que bonito...

Bolachas bailarinas

Aquilo é para mim eu sei, eu conheço-te. E conheço-me. Preciso de dançar. Ela hoje disse-me que não confia nas pessoas. Eu disse que acreditava que as pessoas não são más. Disse que todos mentíamos  Disse que podes confiar muito em alguém e ainda assim saber que essa pessoa te mente. Disse que era uma questão de conhecer as peças. Eu conheço-te. E preciso de dançar. Eles baralharam o trabalho todo. Não foi por mal digo eu. São estúpidos diz ela. Tem calma, as pessoas não são más. Não os conheço, mas vê-se na cara. Apetece-me dançar. A miúda diz-me que tem tudo para fazer e não se mexe. Quase lhe grito em plena sala que tenho os trabalhos bem mais atrasados que ela e estou ali a trabalhar. Apetece-me bater-lhe, e preciso de dançar. Invento bastante no meu trabalho de cultura. Ninguém vai perceber. São coisas irrelevantes. Preciso de dançar. Tenho saudades dele mas não tenho tempo para pensar nisso. Preciso mesmo de dançar. Explico geometria nas pausas do trabalho. Recebo um ultimato para comparecer à festa. Faço ginástica financeira mentalmente. Tenho a mesa cheia de livros e papeis. Preciso de dançar, preciso desesperadamente de dançar. Dói-me tudo. Dói me a cabeça, dói me os olhos, dói me os ombros e doi-me a alma. Ela diz-me para relaxar, por musica, parar e dançar. Faço isso. Precisava tanto, tanto de dançar.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Chili Bolachas

Não tinha planos para o mês de outubro, perdi a cabeça e comprei não 1, não 2, mas 3 livros. 
No final do mês toda a gente decidiu fazer anos, marcar cinemas e ir festas de halloween.
Obrigadinha hem?  ahaha
Mas eu vou fazer um esforço desgraçado para ir a isto tudo, porque eu não posso descurar dos amigos, novos, velhos e os outros. São das coisas que fazem diferença nas amizades.

Bolachas e o crime perfeito

Veneno
Mas um veneno daqueles que demora a actuar porque assim a pessoa tem tempo de ir dar uma voltinha e comer mais umas porcarias e então despistaria. Só para prevenir, não poderia haver ligação entre nós. Ela pedia-me a mim e eu pedia-lhe a ela. Mantínhamos contacto por cartas que queimávamos assim que respondêssemos. Sem rasto possível
Para aplicação do veneno nada mais fácil do que comprá-lo numa loja qualquer corrente, em dinheiro. Nada de fazer levantamentos idiotas à pressa e muito menos de receber transferências de dinheiro, quem vê um mínimo de filmes sabe como eles são sempre apanhados de maneiras completamente idiotas que poderiam ter evitado. Pôr o veneno num pacotezinho de açúcar, daqueles normais. Num dia corrente de trabalho servir um café à pessoa em questão e, na ida ao açucareiro "ai jesus que deixei cair a caixa cheia de pacotinhos todos iguais e olha este aqui no meio dos outros todos". Sem espalhafato, sem nervos, sem olhar em volta, sem desligar câmaras de segurança. E se pensarmos bem mais de metade dos sítios não tem câmaras.
Como se fosse a coisa mais normal do mundo.

Eu sou boa pessoa, juro.
E caros senhor do CSI, isto foi escrito na mais pura bricadeira. Se eu fosse realmente fazer isto não publicava não era? Sejamos inteligentes! 
Para mais esclarecimentos criminais favor de contactar-me na caixa de comentários, obrigada.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Bolachas de férias

Supostamente o Natal é sempre quando o Homem quer. Então não percebo porque é que ainda não estou de férias...
André Farinha

Bolachas na cruz

Confissões que eu tenho a fazer: Nunca vi o diário da nossa paixão.
Vá, crucifiquem-me lá.

Bolachas de cristal

A professora Trelawney passou num ruge-ruge.
-Alguém precisa da minha ajuda para interpretar os presságios sombrios da bola de cristal? - murmurou sob o tilintar das suas pulseiras.
-Eu não preciso de ajuda - murmurou Ron. - O significado disto é óbvio. Vamos ter imenso nevoeiro à noite.
Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban - J.K. Rowling

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Bolachas F.A. vs Nova

Ele: Na minha faculdade é só malucos. Há mais droga que eu sei lá! É que tu não tens mesmo noção!
Eu: Amiguinho, eu estou numa faculdade de artes. Claro que tenho noção!

domingo, 21 de outubro de 2012

Bolachas, é isso mesmo

(Ela entra na página do facebook do namorado)
Eu: Mas tu estás a controlar o facebook dele?!
Ela: Nãoo, ele é que... Sim, é isso mesmo.

Bolachas desnaturadas

Engole essa vergonha toda e fala com o teu padrinho oh sua desnaturada! 
E assim fiz. E não percebi se aquilo enviou ou não porque era uma sms enorme, mas não vou reenviar porque aquilo ainda manda duas vezes e depois ele acha que estou a persegui-lo.
Sinceramente.

Bolachas no poker

Aquilo é sobre mim? É que parece.
E escreve-se All in, não All line.

Bolachas afogueadas

Se a minha casa estivesse a arder eu salvava... 
Depende do sitio onde estivesse a arder. Se o fogo fosse na cozinha - sitio mais óbvio - teria tempo para salvar umas quantas coisas. Mas a probabilidade de eu desatar a correr e pegar na minha mochila era enorme, porque lá dentro tenho sempre a carteira e mais uma pilha de tralha que anda sempre comigo (e está no meu quarto, logo aí...). Pegava no telemóvel evidentemente, e no portátil porque  - hey! - isto custa dinheiro e tenho demasiadas coisas importantes aqui. Rezava para ter tempo de salvar uns quantos livros. Assim tudo muito à pressa. 
Não salvava a Milady - a gata - pela simples razão que suponho que alguém da família o fizesse. Senão lá teria de ir eu atrás da gata...

sábado, 20 de outubro de 2012

Bolachas feiticeiras

Sofia Bolacha, a feiticeira
Uma história antes referida, mas nunca antes contada aqui. 
Pensemos num monte de caloiros, veteranos e doutores todos felizes e contentes na época das praxes a percorrer sei lá quantas tascas com o objectivo de enfrascar os primeiros. 
Imaginemos agora Sofia Bolacha, já pouco sóbria mas ainda consciente toda feliz e contente com um copo na mão e um pauzinho-que-até-hoje-não-sei-de-onde-veio na outra. E um amigo por perto que alinha nas brincadeiras. 
Agora imaginem-me a berrar maldições imperdoáveis munida da minha varinha improvisada no meio da rua e desse meu amigo a obedecer à minha maldição Imperious.
Juro-vos que fizemos sensação nesse dia! 
Até que me tiraram o copo e a varinha e tive de fazer olhinhos para que ma devolvessem (à varinha, que o copo já não voltou)

Ahhh, das histórias que ficam para a vida.

Sirius Bolachas

Falamos do Harry Potter. Eu digo que adoro o Sirius e ela diz-me que adorou a cena da morte dele - não a morte em si - e é aí que dou conta que nunca compreendi muito bem como ele morreu. Tenho uma vaga ideia, mas nada em concreto.
O que é uma vergonha porque li o livro 2 vezes e vi o filme mais umas quantas.

Bolachas e o trabalho

Achei que tinha de fazer render o tempo. Quis adiantar um trabalho e comecei a escreve-lo numa aula.
Perdi a folha e agora, para além de não o ter adiantado, ainda o atrasei porque andei à procura do dito.
Ah raios!

333 Bolachas, 999

Sabes que mais? Eu tenho saudades tuas. Durante 3 anos foste uma melga, atiraste-me com uma sopa em pleno refeitório, embebedaste-me a primeira vez, fizeste-me ficar semi-despida numa bomba de gasolina, molhaste-me estando eu vestida de branco o que resultou numa viagem really awkward com um rapaz que me queria engatar, fizeste-me cair milhões de vezes, grafitar pela primeira vez e fugir da polícia, tomaste conta de mim quando a vodka fez o seu efeito, jogavas basket com o meu decote só para me irritar, fazias viajar bolachas por uma sala inteira só para partilhar comigo, tornaste-me uma pessoa com uma mente demasiado poluída,  fizeste-me andar de comboio sem pagar a primeira vez e fugir do pica de saltos altos, comemos pizza congelada porque os planos não correram muito bem, reclamavas comigo para eu não almoçar só bolachas, mandavas vir comigo pelas minhas tonturas e ainda assim gozavas com isso, e fizeste muitas outras coisas tão estapafúrdias que não lembram nem ao diabo. - Well, you are his daughter right? And mine too. - Fui a tua "vítima" durante 3 anos, e por muito que isso me tirasse do sério às vezes e tenhas apanhado uns quantos estalos a sério de tanta raiva que me metias, eu tenho saudades tuas, e não trocava esses 3 anos por nada. Porque... pessoas tipo tu não há muitas. E eu gosto bue de ti. 
Não seremos amigas a vida toda, ambas sabemos isso, cada uma tem uma caminho diferente, mas podemos ir dando notícias sim, é isso que faremos. Mas serás sempre uma boa recordação, daquelas que surgem e me arrancam um sorriso de tão tola que é. 
Concluindo: Que cena mais lamechas! BLAARG

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Bolachas e os balões de água

Porque é que tu insistes em ver e publicar fotografias de à tanto tempo atrás? Porquê?!

Bolachas do outro lado do espelho

A vida, o que é senão um sonho?
Alice do Outro Lado do espelho - Lewis Carrol

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Bolachas com geleia

A regra é: geleia amanhã e geleia ontem... Mas nunca geleia hoje.
Alice do Outro Lado do Espelho - Lewis Carrol
Boa lógica para quem quer fazer dieta

Bolachas impossíveis

-Ninguém pode acreditar em coisas impossíveis.
-O que eu acho é que não tens praticado muito - respondeu a rainha - quando eu tinha a tua idade, fazia sempre este exercício durante meia hora por dia. Às vezes conseguia acreditar em seis coisas impossíveis antes do pequeno-almoço.
Alice do Outro Lado do Espelho - Lewis Carrol
Uma frase muito de acordo com... a aura da Alice.

Bolachas and the Encore

O Eminem faz 40 anos.
COMO É QUE ISTO É POSSÍVEL ?!

Bolachas desajeitadas

Eu digo-te que preciso de atenção. Não que quero, mas que preciso. E tu, ainda que de uma maneira insípida, desajeitada, bruta e insensivel, dás-ma. E distrais-me nem que seja por estarmos numa mini discussão idiota porque tu és um complicado do caraças e ainda queres por as culpas em mim. distrais-me.
E eu não sei se é de proposito ou não. Mas funciona. E irritas-me. E depois deixo de estar irritada. E fico triste. e depois irritada. E depois outra vez bem. E distraida. E funciona. E eu não sei se é de proposito ou não.
E no final apanhei uma valente constipação. 

Bolachas na hora de ponta

"No Man's Land
9h18, hora de ponta, comboio cheio. As pessoas são um conjunto de convenções. Acho piada à forma como estão tão próximas mas fazem os possíveis para não se tocarem. Ninguém me viu, ninguém me conhece. Não existimos. Mas não poderia ser de outra forma. Porque é de manhã e está tudo cheio de sono, é de manhã e todos desejariam estar noutro sítio, longe de mim, longe daqui. Uma senhora fechou os olhos por segundos e perante o dia cinzento lá fora, a sua pele parecia irradiar um fino momento de paz... até que volta a música alta, a criança a berrar repetidamente, o ruído da deslocação na segunda carruagem. Imagino como seria se ignorassem por momentos os limites, e alguém mandasse calar o puto e o rap, fugissem ao pica, e todos começassem a contar a vida uns aos outros, tendo como única coisa em comum serem perfeitos desconhecidos, a grande massa heterogénea diária e anónima. Mas não pode ser dessa forma. Por isso o comboio prossegue nos carris da norma, mais umas horas, mais um dia, mais um mundo."

Escrito pela nês no blog Sunset
Adorei, pura e simplesmente adorei.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Bolachas sem-jeito

Ela: devias falar de livros no blog. Era muito fixe. Tu tens opiniões brutais.

Molho de Bolachas

Ela soltou o cabelo. Convidaram-me para ir a Coimbra. Convidaram-me para ir às Caldas. Convidaram-me para ir a Braga. O meu pai vai para a Bélgica. Entrei na universidade. Fecharam-me as portas do comboio mesmo no nariz. Escorreguei numa estação de comboios. Andei pela rua a lançar feitiços toda feliz e contente com uma varinha mágica. Mergulhei dentro de uma fonte. Andei descalça no comboio, e no autocarro. Perdi autocarros. Expliquei matemática a pessoas que nunca imaginei explicar. Um canadiano elogiou o meu inglês. Fiz amigos novos. Deixei de gostar de desenhar. Reaprendi a gostar de desenhar. Li a Alice. Li a Anne Frank. Li mais coisas que agora não me lembro. Descobri novos sítios em Lisboa. Apeteceu-me bater numa miúda da minha turma. Cheguei aos 60 seguidores. Mudei de imagem no telemóvel. Decidi que queria aprender flauta. Não aprendi flauta. Regressei ao contemporâneo. Voltei a dançar o Grease. Furei a orelha, outra vez. Conheci alguém que fez lembrar outro alguém. Ainda faz. Regressei às origens e ouvi Valete. Arrepiei-me com as manifestações portuguesas. Metade do meu país foi enganado pela publicidade de um perfume. A minha aldeia do Astérix juntou-se para jogar futebol. Fui ao banco sozinha e atrapalhei-me toda. Assinei papeis e mais papeis. Fui reconhecida na França e ganhei um cartãozinho todo manhoso da embaixada. Fiz seis meses de vegetariana. Comprei uns sapatos.
E tudo isto em cerca de um mês. mais coisa, menos coisa

domingo, 14 de outubro de 2012

Bolachas nas labaredas

Isto arrepia-me tanto, mas tanto...

Bolachas na máquina de lavar

As formigas invadiram o lava-loiças cá de casa, e por consequência uma caneca.
Numa casa normal enchia-se a caneca com água, lavava-se e assunto arrumado.
Cá em casa não, somos mais sádicos que isso: Pegamos na caneca, pomos na máquina de lavar, fazemos as formigas sofrerem no meio da escuridão por mais meia hora e só depois de jantarmos e tudo mais é que ligamos a máquina, afogando-as num misto de água e sabão.

Bolachas e o quadro

Lembras-te quando passamos para o secundário e que tu basicamente me deixaste em prol das tuas novas amizades? Sim, custou, e foi um rol de confusões sem fim. E lembraste como acabou? Em guerra fria entre nós as duas, e tu com as tuas novas amigas forever cheias de corações e amor para dar umas às outras.
Agora tu entraste para a faculdade, faculdade essa diferente das tuas amigas do secundário (que eu até conheço, falo e tudo mais. Eu lá no fundo até nem sou má pessoa.). E agora fizeste novas amizades, até aqui nada de mais. Mas - e foi isso que me levou a falar no assunto - não achas que menos de um mês de aulas é cedo de mais para já andares a por coraçõezinhos nas tuas novas amigas? Sim, eu sei que é possível haver aquela ligação quase instantânea, eu sei disso, mas é pouco provável. 
E eu conheço-te. E tu já me fizeste o mesmo. E estou super curiosa para ver o quadro daqui a um ano.
É pena que tu não aprendas com os erros.

sábado, 13 de outubro de 2012

Bolachas italianas

(ele traz-me uma coisa que pedi)
Eu: Grazie!
Ele: Prego!
Eu: (olho muito admirada para ele)
Ele: Ah pois, desta é que não estavas à espera!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Bolachas Maravilha

-Cala-te, menina! - disse a Duquesa. - Tudo tem uma moral. Basta que dêmos com ela.
Alice no País das Maravilhas - Lewis Carrol

Bolachas e frases-que-não-são-minhas-mas-na-altura-tiveram-imensa-piada #46

"Uau! Tu lês livros com imagens!"
Tenho lá eu culpa de a Alice ter imagens...

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Bolachas e o-sr-tem-uma-filha-muito-fixe

O que ela me fez lembrar:
Todo bêbado, com um chapéu ridículo e um sorriso de orelha a orelha. "Eu adoro crianças!"
Ahhh, bons tempos, bons tempos.

Stª Cruz das Bolachas (LS)

E hoje finalmente senti o cheiro a torradas.
Literalmente

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Bolachas super escritoras

"mimimi ela escreve mesmo bem! Adoro todos os livros da MRP!"
Tem calma, respira fundo e... controla-te para não entrares num debate. 
Gostos são gostos. 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Bolachas na parede

(após uma conversa alusiva a coisas muito pouco católicas)
Ele: A pregar durante a minha ausência?
Eu: A pregar os bons costumes, claramente! Na parede e bem chacinados.

Bolachas e o céu

Sempre que te sentires sozinho ou triste, tenta ir às aguas-furtadas num dia bonito e olhar para fora. Não para as casas e telhados, mas para o céu. enquanto puderes olhar sem medo para o céu, saberás que és puro de coração e encontrarás novamente a felicidade.
Diário de Anne Frank - Anne Frank

Bolachas Salazaristas

Coisas que eu aprendo com os graffitis de Lisboa: Na época de Salazar era proibido jogar às cartas nos comboios.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Bolachas Shiuuu

Tenho uma ideia para quando a TVI quiser um pouco mais de originalidade na casa dos segredos: recrutar gente do shiuuu.

Bolachas e a música

selo para celebrar o dia internacional da música (1 de Outubro) gentilmente oferecido pela minha Lia
Consiste em: indicar quem ofereceu, escolher 3 músicas que representem aquilo que vou dizer lá em baixo e publicar, passar a 5 blogs.

1- uma música que me faça lembrar a minha infância
Lembro-me da minha mãe por isso cá em casa. Sempre gostei e faz-me realmente lembrar a minha infância.

2- uma música que me faça lembrar uma antiga paixoneta
Por razões estúpidas (só podia)

3- uma música que associe a um momento feliz da minha vida
Metallica - Master of Puppets, mais precisamente no minuto 3.52
Sempre gostei mas ganhou um gosto especial. E não o perdeu, mesmo depois do fim da festa. E aquela parte é simplesmente... linda. 


Os 5 blogs
Mariana:  m, o blog
Inês de Sousa: The 2nd girl next door
Patrícia: Quem é que deu erva à Cinderela? epah, este nome mata-me ahahah 
A pastora: Ovelha Negra  seja bem vinda 

E deve ser o post com mais hiperligações que eu já fiz. É favor honrar o meu trabalho e visitar isso tudo! xD

Bolachas nas mudanças

Está tudo diferente. 
Não falávamos à imenso tempo mas a conversa fluiu com uma energia divertida de quem tem aquela ânsia de matar saudades. Saudades essas que não são iguais aquelas que sinto por ti ou por ela, são saudades de alguém que não teve muito significado, mas de quem ainda assim gosto bastante.
Falámos das mudanças mais importantes que aconteceram: os cursos. Não fizemos perguntas sobre os nossos relacionamentos com pessoas que eram próximas a ambos na altura: eu com ela e ele contigo. Nem sequer surgiram à baila melhor assim
Ele ainda mencionou os "bons velhos tempos"- mas não vocês em especifico - e deixou-me a pensar nisso por uns momentos até que respondi "Eu prefiro os de agora". 
E prefiro, porque tudo mudou e eu sou mais feliz assim do que era à 3 anos atrás onde tu nem sequer estavas no panorama. 

domingo, 7 de outubro de 2012

Lagana lacrimam

Não chores, não chores... a não ser que sejam lágrimas de alegria.
Lagana lacrimam = bolachas de lágrimas, em latim.

sábado, 6 de outubro de 2012

Bolachas e a internet

Conclui que o feed noticias do facebook é bom para saber o que se passa na casa dos segredos, o resultado do jogo de futebol e os recentes relacionamentos dos meus "amigos". O 9gag é excelente para saber as notícias da internet em geral, a política dos E.U.A, algumas curiosidades engraçadas. E para concluir isto tudo, o blogger é bom para descobrir certas notícias que me passaram ao lado, os globos de ouro e os vestidos, e muitas opiniões pessoais acerca de livros, filmes e sociedade.
Com isto tudo, quem precisa de televisão hoje em dia?

Bolachas desportistas

Ela: Mas ele faz desporto?
Eu: Come gajas.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Diário das Bolachas

Aprendi uma coisa: só se conhece realmente uma pessoa depois de uma discussão. Só nessa altura se pode avaliar o seu verdadeiro carácter!
Diário de Anne Frank - Anne Frank

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Bolachas, oh the irony!

Saudades. Nostalgia. Lembro-me de tirarmos aquela fotografia, como se fosse ontem. Lembro-me do que aconteceu a seguir, do quanto nos rimos enquanto ele dava banho ao macaco e dizia que não cantava porque queria tabaco. Só boas memórias. 
Reparo que está um à direita, o outro à esquerda e eu ali, ao meio, apoiada nos dois, com um ar de felicidade inconsciente.
Oh, tanta ironia presente numa só imagem. Tanta ironia...

Bolachas e não-voltes-a-fazer-por-favor

Mais do que irritada, deixa-me triste quando ages como se não me conhecesses. Até podias dizer exactamente isso, mas de outro jeito. Não do jeito básico, barato e reles possível  Há coisas que precisam um bocadinho de mais cuidado, só isso.
E ofendes, oh, ofendes tanto...

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Bolachas com cebola

Sabes que estás desgraçada quando desenhas cebolas e estas parecem laranjas, abóboras e castanhas. E uma ou duas cebolas vá.

Bolachas e a Margaridinha

Eu sei que muitos de vocês tiveram um mini-ataque-cardíaco quando ali no separador "eu quero uma biblioteca" apareceu o nome da Margarida Rebelo Pinto. Agora que acabei o livro, eu passo a explicar o que se passou:
Muita gente fala mal da escrita da senhora e como as pessoas decentes só falam mal daquilo de que têm  mínima experiência... A Mariana decidiu ler o Sei Lá, e convenceu-me a fazer o mesmo. Portanto sim, eu li a Margaridinha e admito! E...
...comprova-se que é leitura do mais rasca barato fútil simples que há. Começamos logo com a senhora a dizer que os portugueses são uns fúteis e só querem saber de marcas, mas ela refere-se aos óculos de uma das personagens como "os armani da Luísavárias vezes
Segue-se o irmão da personagem principal a trata-la por você "Que tem a mana hoje?
E mulheres de 30 e 40 anos a comportarem-se como se tivessem 20: Elas é ir ao docks*, à kapital*, a ficarem bêbadas ainda antes do jantar, a fumarem charros - sim! Charros vejam lá! São modernas as senhoras -  a trocarem de namorados à grande e à francesa...
Inicialmente ainda tive alguns vislumbres de esperança com algumas frases dela - algumas que até publiquei - e, principalmente, quando ela disse que admirava bastante Jorge Amado - oh sim, eu ainda tive esperança... - mas umas páginas mais à frente a Margaridinha sai-se com "... livros de mesa de cabeceira que em tempos foram importantes para mim: O Alquimista do Paulo Coelho ..." 
I rest my case
*Para quem não é de Lisboa: são discotecas onde vão pessoas da minha idade por exemplo

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Bolachas no pingo-doce

(Dona Bolachas a atravessar cerca de 4 salas - estão interligadas - a empurrar uma cadeira de rodinhas - porque nos roubaram as cadeiras da sala)
Alguém-numa-dessas-salas (em sussurro): Parece as mulheres no pingo-doce...

Bolachas com lata

Quem tem lata tem quase tudo na vida
Sei Lá - Margarida Rebelo Pinto

Bolachas com cappuccino

Contou-me uma história da mesma maneira que tu contas. A rir-se entre as palavras e com um jeito que achava que era único.
Só me apetecia rir.

Bolachas ingénuas

-Isso não é parvoíce, é ingenuidade!
-E tu não fazes ideia do sucesso que faz com as mulheres...
Sei Lá - Margarida Rebelo Pinto
Sim, eu ando a ler a senhora por curiosidade. Manifesto-me acerca da escrita dela quando acabar o livro. Vá, não entrem em pânico.

Bolachas tempestuosas

O amor - respondeu o comandante - não respeita convenções, o amor é como a tempestade.
Os Velhos Marinheiros ou o Capitão de Longo Curso - Jorge Amado