quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Bolachas na diagonal

E faz hoje um ano que nos conhecemos
Apesar de tudo o que aconteceu, obrigada. Marcaste o meu 2011, e não voltava atrás. Fizeste-me crescer e agradeço-te por isso. És um grande amigo, nunca duvides de tal coisa.
E se um dia vieres a ler isto pergunto-me se percebes o porquê do "diagonal". 

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Bolachas para pôr copos

(acerca da passagem de ano)
Ele: Vou levar os livros para estudar. Tenho montes de frequências.
Eu: Para servirem de base de copos é?

Bolachas e o porquê-de-ainda-respirares

1 - Bater-te seria considerado abuso de animais
2 - Homicídio é considerado crime, e a minha vida é boa demais para ser desperdiçada na prisão.
3 - estou demasiado feliz para sequer me preocupar contigo.
4 - Acho que o karma existe, é uma questão de esperar

Até dizia que "sê feliz e não me chateies", mas não. espero que tudo aquilo que fazes, sua falsa, se vire contra ti, com toda a força possível e imaginária. Mas também não desejo que morras ou assim, apenas que sejas traída vezes sem conta e que os teus amigos sejam o mais falsos possível. desculpa, mas é verdade.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Bolachas e frases-que-não-são-minhas-mas-na-altura-tiveram-imensa-piada #27

As corridas de carros são como o sexo. Todos os homens acham que têm jeito.

domingo, 25 de dezembro de 2011

Bolachas e os aniversários

Eu evito mandar os parabéns para o Facebook. Posso ver que as pessoas fazem anos através daqueles maravilhosos avisos, mas só mando para o facebook em ultimo caso. Primeiro vejo se tenho o numero da pessoa. 
Pela simples razão que, por muito que continue impessoal, é sempre um bocado mais especial do que pela Internet, em que estou descaradamente a dizer "lembrei-me de ti porque esta coisinha me avisa de toda a gente".
E mais! Não dou os parabéns a toda a gente, tenham lá paciência. Se realmente significas alguma coisa, recebes parabéns. Se eu só sei o teu nome e pouco mais, não vais sentir muito a falta de uma frase mal ensaiada não é verdade?
(Devo ser das poucas pessoas a postar qualquer coisa completamente alheada ao assunto do Natal ahaha)

sábado, 24 de dezembro de 2011

Bolachas e as coisas-que-gosto-em-ti

E chegamos ao ponto de estarmos a falar de traições como se fossem cerejas. 
Acho que é uma das razões porque gosto tanto de ti.
(não de traíres, mas de tornares a conversa fácil)

Bolachas e a vadiagem

Ele: E vais para onde?
Eu: Vou para a china*. Passagem de ano.
Ele: Ui, que vadia! xD


A vontade que tive de te dizer quem era a vadia desta história... Mas só me consegui rir. 
És tão idiota meu querido.

Bolachas com Homlet #2

"Não há mundo para sempre nem sorte importuna: até nossos amores mudam com a fortuna"
Hamlet - W.Shakespeare

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Bolachas e o PPC

Recebi o meu postal do PPC. Com tanta coisa quase me ia esquecendo de agradecer à minha amiga secreta. eu sei que vieste aqui passear pelo menos uma vez, caso te venhas a tornar minha seguidora, espero que leias isto. 
Obrigada :D gostei muito, muito, do que escreveste
(agora é que percebi que tu já és minha seguidora ahahha)

Memorial das Bolachas #4

"tudo é mineral, ou vegetal, ou animal, Nem tudo, há coisas que o não são, a música por exemplo"


P.S. Para quem não sabe, saramago não põe pontos no final das frases, limita-se a por letra maiúscula do inicio da frase, daí que aquele "Nem" é o inicio de outra fala

Bolachas e um bom ponto de vista

Ele: Então tu e o Afonso*...
Eu: Oh, é estranho. Ele andou com a minha ex-melhor amiga.
Ele: Andou com a tua ex-melhor amiga. Não há relação nenhuma.
Bom ponto de vista

Bolachas traidas

Eu sabia, mas como ambos negavam pensei que fosse imaginação minha. Fizeste uma cena a dizer que estava com ciumes à toa, que não fazia sentido, que não era nada. O mais engraçado é que era, e eu sabia e fiz de conta que não. Não namorávamos mas tu tavas comigo, por palavras tuas. E ela, que depois de tudo acontecer, me levou para casa dela antes da hora combinada para passar mais tempo comigo? e que até bêbada, me disse que não tinha acontecido nada? Nem sei quem foi pior, se ela se tu. Ela porque andou a gozar comigo este tempo todo, e a fazer-se de minha amiga. Tu porque me mentiste, e nem foi mentir por omissão, foi mentir mesmo. Porque eu perguntei-te e tu disseste que não, com aquela expressão de que eu estava a ser paranóica. e não estava, porque era tudo verdade. E para completar tudo isto, toda a gente sabia, eles sabiam e não me disseram. Por um lado vejo o lado deles de não te quererem tramar, de não se quererem meter, de não nada. Por outro vejo o meu, de rapariga traída que sabia e fez de conta que não.
E sabes que mais? Nem chateada estou, estou desiludida porque me mentiste

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Bolachas voluntárias

Mala feita, roupa arrumada, cabelo arranjado e lá vou eu outra vez.
Deixai-me ir que vou ser feliz.
(e não tenho net lá)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Worried Cookies

Please, let me help.
I know that you have a lot of issues with your mom. Maybe I can't fix them, but, maybe i can help you to forget them. Maybe. Take you out of that world where you are completly lost, and help. Just help. 
I know we don't have much in common, but I care. Because I like you, I always liked. And if you like, you care.
Please, let me help.

(isto deve estar cheio de erros, mas só fazia sentido ser escrito em inglês. Por isso... se alguém encontrar erros- de qualquer tipo - é favor de dizer que eu corrijo. Sempre a aprender)

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Bolachas natalicias

Na sexta vou para um campo de voluntariado, e tenho que levar algo (frase, texto, objeto) que represente "nascimento" - yah, coisas mesmo "à natal" .
Any idea ?

Bolachas nos CTT

E pronto, lá enviei os meus 12 postais hoje. Foi roubada nos correios - porque os envelopes eram maiores que o normal e mais caros de enviar portanto - mas é Natal.
E espero ansiosamente pelo meu ahah

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Bolachas e o "enterro"

(aula de desenho, com uns miúdos a fazerem de modelos)
Stora: CREDOO!!! Que é isto?! A rapariga não é assim tão feia!
turma: (silêncio aterrador do género "ela não disse aquilo!")
Stora: (baixinho, como se a miúda não ouvisse) Eu disse mesmo aquilo? Ai...
turma: (explosão de riso) disse stora, disse !
Stora: (para a miúda) Não era o que eu queria dizer, o desenho é que estava maaaaau! 
(e cada vez enterrava-se mais)

Bolachas com instinto assassino

Ficas-te online.
primeiro pensamento: MATA, MATA! Respiraaa... MATA MATA! respiraa... MATAAA!
e não te disse n-a-d-a , não mereces.
és estúpido sabias ?
(ainda estou a tremer de raiva)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Bolachas e acuse-se-quem-nunca-fez-isto

FATO (ou facto para os mais esquisitos)
Mexer no telemóvel é a saída universal de situações constrangedoras.

Bolacha com papagaio

Mulher encantada é pior que papagaio
Às vezes acho que eu podia ser uma grande filósofa! ahah

Bolachas e a flafy

E não sei porquê, mas um dia destes começo a acreditar em destino, talvez. Eu que era tão descrente de tal coisa, eu que defendia que não havia cá nada disso e apenas coincidências, eu que era - sem dúvida - a mais racional de nós as 3, qualquer dia acabo a acreditar naquelas coisas do "está destinado".
Não funcionou da primeira vez sabe-se lá porquê, e agora, quando voltamos a fazer a experiência, desta vez mais a sério, também não funciona? 
Estive o dia todo a pensar se realmente iria, pensei, pensei. Ela espremeu-me até ao limite para eu lhe contar e depois pareceu desiludida (quem te mandou?). E aquela estúpida música que não me saia da cabeça! E o teu nome que troquei tantas vezes em pensamento e que corrigi a tempo de ele simplesmente sair. Agora pensando bem, parecia tudo sinais de qualquer coisa. Os horários que mudaram. O sentimento de que "eu não devia estar aqui". Era tudo indícios que não iria correr bem.
And guess what? Não correu realmente.

Bolachas espantadas

Acho incrível a velocidade com que a "tua" música me vem à cabeça quando não deve. incrível.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Bolachas e a voz sexy

Ele: Olha, o João* está ali a atuar, eu sou o irmão dele do grupo, e sou eu quem tem o telefone dele...
Eu: Ah, está bem. Não faz mal.
Ele: ... e ele tem estado muito ocupado, mas ele depois recompensa-te...
Eu: Está bem, não é preciso justificação.
Ele: ... com qualidade! tempo com qualidade! Não é preciso justificação?
Eu: Não, nunca lhe pedi justificações.
Ele: Ah, esta bem. Olha porque é que o teu nome está marcado como Manteiga* i ponto h ?
Eu: Não é i ponto h, é J.H. . foi onde nos conhecemos. É uma cena de voluntariado.
Ele: Ah, e é o quê?
Eu: juventude hospitaleira, ele depois explica-te .
Ele: mas têm a ver com hospitais?
Eu: Sim, tem.
Ele: Eu percebi pelo "hospitaleira". Olha Manteiga* continua a fazer isso, é muito bom. Qualquer dia eu vou com ele.
Eu: E assim conheço o meu "amigo do telefone" ahah está bem.
Ele: Sim, assim conheces quem é esta voz sexy!
Eu: Ah, está bem. Olha.. eu estou atrasada, tenho que desligar.
Ele: Eu não gosto de desligar o telefone na cara das pessoas, é má educação.
Eu: Sim, sim, mas eu estou mesmoo atrasada.
Ele: Então.. bom dia!
Eu: sim, bom dia.
Ele: quer dizer, para mim ainda é boa noite, mas bom dia!


Só a mim, é que só a mim.

Bolachas que-não-vêem

O que os olhos não vêem, e o coração desconfia, o cérebro imagina

sábado, 10 de dezembro de 2011

Bolachas e um bom plano

Eu: Epah, vou arriscar. Se correr mal... bem.. aí choro, rio-me e sigo em frente. parece-me um bom plano.
Ela: Ahah choras e depois ris. Bom plano.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Dr. Bolachas House

"Antes antipático do que falso. Afinal o que é ser simpático? fingir que gosto de toda a gente?! então meu caro, se eu não gostar de ti, não contes com a minha simpatia. Chega de confundir falsidade com educação"
Dr.House

Bolachas nas terminais-de-autocarro

Aeroportos, hospitais e bailes de finalistas têm uma coisa em comum: há sempre alguém algures a chorar.

Bolachas poderosas

Porque eu por vezes sou arrogante, convencida, direta, maléfica e poderosa - e não me faço rogada a tentar negar seja o que for - é que tu tens tanta inveja de mim.
true story
(não pensem com isto que eu sou má pessoa, porque não sou, simplesmente ponho limites nas coisas e as pessoas não gostam. só isso.)

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Bolachas unfair

Escreveste uma das tuas melhores músicas e nem te posso dizer porque desapareceste. Not fair.
Durante meses não leste nada meu porque não sabia se já estavas nesse nível. Finalmente leste, comentaste rapidamente e desapareceste como se não fosse nada. Not fair.
and you aren't tell me everything. Not fair too.

sábado, 3 de dezembro de 2011

Bolachas com 1 ano

E embora o meu primeiro post seja de dia 4 de dezembro, a verdade é que criei o blog dia 3
1 ano de Bolacha Maria com Algo Mais!
Foi das melhores decisões que eu podia ter tomado ahah
obrigada a todos por estarem por cá

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Bolachas loiras

"Vai ver o histórico, ler mensagens e ver fotografias. Vai! Vai sentir saudades. Vai, magoa-te mais, magoa-te. Sua idiota..."