quinta-feira, 24 de março de 2011

Bolachas no país da palhaçada

"É um país de palhaços" 
Foi esta a reacção do meu pai ao discurso que a senhora d'Os Verdes fez para a rádio, porque ela só dizia aquilo que tínhamos de fazer, como aumentar reformas, diminuir imposto e blá blá blá, mas não explicou onde é que ia arranjar o dinheiro para isso; Já ao jantar saiu-se com esta: "Os portugueses continuam a votar como se votassem num clube de futebol. (começa a imitar uma velha qualquer com o braço no ar a reclamar:) 'Eu sou do PCP até morrrrrrrer!!' " Claramente que desatamos todos a rir. Com isto ele quis dizer que, as pessoas não pensavam muito em quem votam, simplesmente votam porque sim. 
E, embora já não seja tanto assim, a verdade é que isso acontece. Conheço umas quantas pessoas que falam de politica, mas falam de politica como se percebessem imenso daquilo! obviamente que depois ficam sem argumentos e acabam com um "eu não gosto de politica" (mas mesmo que não gostes, é importante falar dela)
Depois repetem umas coisas que ouviram alguém dizer, e acharam piada, sem sequer pensarem muito bem sobre o assunto, claro que depois sai disparate.
Longe de eu perceber alguma coisa de politica, longe de eu gostar sequer de politica, só acho que, se falas dela, ao menos pensa um bocadinho antes. Vou te dar um ponto de partida: Nós não somos o pior país da Europa, não somos o país com mais dívidas da Europa (olha para a Grécia e para a Irlanda. ah pooooiss!), não somos o único que está sem governo (Finlândia. Desde quando é que se ouve falar que a Finlândia está mal?!), a Espanha/Bélgica/França (não tenho a certeza da França) também estão quase, quase da falência. Nós não estamos mal, o mundo inteiro é que está.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dá aí a tua opinião