quinta-feira, 31 de março de 2011

Bolachas artisticas

À uns tempos, estivemos a discutir o que era considerado uma obra de arte. E, como apoio à discussão, acabamos por ver um filme que mostrava umas crianças de 5 anos a fazerem pinturas com as mãos numa tela. Depois a rapariga do programa levou essa mesma tela para uma exposição super-conhecida em Espanha e, colocou-a numa parede. De seguida perguntava às pessoas que estavam a ver a exposição o que achavam daquele quadro e em quando o avaliavam. Ouviu-se os maiores disparates de sempre: Começando em milhares de euros e acabando com o comentário de um senhor entendido em arte: "o autor tinha muita tensão sexual reprimida" (não esquecer: foram crianças de 5 anos que o fizeram).
Esta história serviu apenas para suportar uma grande teoria: Um pintor/escultor/outra coisa qualquer faz uma grande obra, aliás, uma obra extraordinária! A partir daí, qualquer risco que façam é uma obra de arte. 
"Ai mas tu não entendes o conceito de arte e blá blá blá" Companheiros, não sou propriamente uma profissional na matéria, mas possas pah! um risco e tornas-te arte?! ; "Ah e tal, mas tu não fizeste! isso é tipo o ovo de colombo! depois de feito parece fácil! é preciso ter a ideia" pois... mas há coisas que são relativamente escusadas de fazer, tipo um risco!

Uma coisa é certa: arte é uma coisa tão complicada de definir... Onde eu vejo arte, tu não vês. E, tu vês arte onde ela não existe, para mim. É tudo tão relativo...



para quem quiser ver o vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=nsY5qhf1Rwo
(eu tentei encontrar o original, mas não consegui. foi o melhor que deu...)

quarta-feira, 30 de março de 2011

Bolachas para pessoas com um QI acima da média

Ele- Blá blá blá, e eu vou para a França
'Stor - Então, e vais falar francês? (obviamente)
Ele- Vou
'Stor - Mas tu sabes falar francês?
Ele- Não!  (ding, ding, ding!   E 1-0 S)
(...)
'Stor- Então... e vais para que parte da França?
Ele- Vou para o Luxemburgo!
(ding, ding, ding! E 2-0 S)

domingo, 27 de março de 2011

Bolachas e frases-que-não-são-minhas-mas-que-na-altura-tiveram-imensa-piada 2#

"Este carro é como um filho de dois anos. Bastante irritante a maior parte do tempo, mas mato quem mo tentar tirar"

Bolachas e não-sei-de-onde-isto-veio

"Anda, anda anda, 
pro meu lado, vem espairecer
Anda, anda, anda,
que eu já estou cansado de te tentar esquecer"

bolachas de fruta

-Quais são os frutos do espírito santo?
-Maçã!

quinta-feira, 24 de março de 2011

Bolachas no país da palhaçada

"É um país de palhaços" 
Foi esta a reacção do meu pai ao discurso que a senhora d'Os Verdes fez para a rádio, porque ela só dizia aquilo que tínhamos de fazer, como aumentar reformas, diminuir imposto e blá blá blá, mas não explicou onde é que ia arranjar o dinheiro para isso; Já ao jantar saiu-se com esta: "Os portugueses continuam a votar como se votassem num clube de futebol. (começa a imitar uma velha qualquer com o braço no ar a reclamar:) 'Eu sou do PCP até morrrrrrrer!!' " Claramente que desatamos todos a rir. Com isto ele quis dizer que, as pessoas não pensavam muito em quem votam, simplesmente votam porque sim. 
E, embora já não seja tanto assim, a verdade é que isso acontece. Conheço umas quantas pessoas que falam de politica, mas falam de politica como se percebessem imenso daquilo! obviamente que depois ficam sem argumentos e acabam com um "eu não gosto de politica" (mas mesmo que não gostes, é importante falar dela)
Depois repetem umas coisas que ouviram alguém dizer, e acharam piada, sem sequer pensarem muito bem sobre o assunto, claro que depois sai disparate.
Longe de eu perceber alguma coisa de politica, longe de eu gostar sequer de politica, só acho que, se falas dela, ao menos pensa um bocadinho antes. Vou te dar um ponto de partida: Nós não somos o pior país da Europa, não somos o país com mais dívidas da Europa (olha para a Grécia e para a Irlanda. ah pooooiss!), não somos o único que está sem governo (Finlândia. Desde quando é que se ouve falar que a Finlândia está mal?!), a Espanha/Bélgica/França (não tenho a certeza da França) também estão quase, quase da falência. Nós não estamos mal, o mundo inteiro é que está.

sábado, 19 de março de 2011

Bolachas e a liberdade dentro do pacote

"Enquanto que as pessoas continuarem à procura do sentido da liberdade, nunca a irão perder"

sexta-feira, 18 de março de 2011

Eu digo bolachas, metaforicamente

Eu sempre tive jeito para brincar às metáforas.

Bolachas e as atitudes idiotas

Vocês acabaram. Podes estar o mais chateada possível com ele mas... ninguém tem nada a ver com isso!
Ok, toda a gente gostava de vos ver juntos é certo, e quem não gostava, dizia que sim só para te fazer feliz, mas, daí até tu lavares roupa suja em público mais concretamente no facebook e pores lá montes de indirectas bastante directas para ele, isso já é demais. Parece que queres que os outros tenham pena de ti, ou então queres tentar afectar o rapaz. Seja qual for, é triste que tenhas essa atitude. E o que mais me espanta é que a malta vai logo toda a correr comentar. Por mais que tu saibas escrever, por mais que tudo aquilo que escrevas seja verdade, o facto de elas comentarem a dizer que "tas totalmente certa" e "ai que eles são todos iguais mas vamos todas encontrar o nosso príncipe encantado" isso a mim, transcende-me ! Porque no fundo, elas estão-se a lixar, mas as aparências fazem maravilhas e, há tanta gente que cai nelas...

Uma coisa que me ensinaram recentemente e que tu devias aprender também: ninguém tem nada a ver com a tua vida, e muito menos com a dele. 

segunda-feira, 14 de março de 2011

Bolachas não-à-rasca

Não, tu não estas assim tão à rasca. Se estivesses tão à rasca como dizes:
-não ias tomar o pequeno almoço ao café à frente da escola
-não punhas o carro no parque de estacionamento pago, só porque é mais fácil
-nem sequer andavas de carrinho todos os dias
-não almoçavas no bar, ias ao refeitório onde  1) pagas menos  2) comes mais  3) a comida faz-te melhor  4)a comida até é boa
-não ias para discotecas/bares com consumo mínimo de 10 euros
-não ias com o nº dos táxis o telemóvel para o final da noite
-não te embebedavas sequer
-não ias às compras todos os meses
-não tinhas esses ténis que tu tens
-e muito menos essas botas
-também não ias aos festivais de Verão que, para quem não sabe, ESGOTARAM no Verão passado (como é que um festival ao ar livre esgota?!)
-não ias comer fora
-não tinhas Zon/Meo/outro

A nossa geração não está assim tão à rasca, é uma questão de olharem à volta.

E com isto tudo, tenho apenas mais uma coisa a dizer: Eu acho bem que se manifestem mas... muitos dos que lá estavam, estavam lá só mesmo pela festa. Porque, quer queiram, quer não "Festa é festa!"

domingo, 13 de março de 2011

Bolachas e frases-que-não-são-minhas-mas-que-na-altura-tiveram-imensa-piada

-quem não gosta de ti, é porquê?
-Porque tem mau gosto

Bolachas com um cartaz

Estive a ver alguns dos cartazes da manifestação "geração à rasca" à qual eu não fui.
Tenho a dizer que há pessoas com uma imaginação incrível.

sábado, 12 de março de 2011

Bolachas e a consideração para com os outros

Temos que ter em consideração os outros. Chama-se a isso: respeito. Ontem vi várias atitudes (não minhas e, nem todas para comigo) de falta de consideração para com os outros. 
Se tu dizes ás 21 horas, é para estar lá ás 21 horas, não é ás 21.30. Apanhas-te trânsito? devias ter calculado que a essa hora HÁ trânsito porque sempre houve e, saías de casa mais cedo. Mas a culpa não é tua? Foi a tua mãe que se atrasou? Então é ela que tem falta de consideração pelos outros. É que eu perdi tempo da minha vida á tua espera, enquanto que podia estar a fazer outra coisa qualquer. Tu não sabes se eu tive ou não que sair de casa a correr para lá estar a horas, não sabes. E, no caso isso ter acontecido, tinha que deixar de fazer qualquer-coisa-que-não-interessa-o-que para ficar á tua espera.
Nós vamos sair. Somos um grupo de 5 pessoas, se um de nós está a beber de mais só temos que interromper e dizer "para ti, hoje já chega" não interessa se me vais mandar passear depois, eu tiro-te a bebida e o assunto está resolvido. Tudo isto porque tenho em consideração: 1- a tua vida  2- a tua dignidade. Só espero não ter que chegar ao ponto de chamar uma ambulância porque tu te estás a apagar, como ontem vi alguns fazer. E, não há nada mais indigno do que uma pessoa vomitar-se toda no meio de uma discoteca, como ontem também vi.
E outra falta de consideração, é deixarem-te sozinha á porta da discoteca, sentada no chão e encostada á parede a vomitar. E ficas lá sozinha, tudo poruqe escolheste mal os teus amigos e estes simplesmente estão-se a lixar para ti. Ou então (e não estou a inventar!) metem-te num táxi, pedem ao taxista que te leve a certo sitio, pedem a um amigo que (por acaso!) ficou em casa para te ir buscar e, depois voltam para a discoteca como se não se passa-se nada. Bem... pelo menos neste caso ainda pediram a alguém para tomar conta de ti...

Bolachas e uma observação

Eu faço uma lista de números antes de sair á noite e ponho na carteira. Para o caso de perder o telemóvel.
O número da minha irmã é o primeiro.

Bolachas e as carteiras

Detesto generalizações, mas vou fazer uma, e bem grande:

Carteira de mãe -> papeis, talões, descontos, B.I., cartões de todas as lojas possiveis e existentes, fotografia da mãe, fotografia do pai, fotografia do marido e dos filhos também. Em casos extremos, fotografias dos afilhados e por ai além. No compartimento das moedas, além destas, consta também um comprimido para o caso de ter dores de cabeça. Quando está na caixa do super-mercado a fim de pagar a conta, fica meia-hora á procura do cartão de crédito/multibanco, tudo porque a carteira está uma confusão. E essa carteira está dentro da mala que também está uma confusão autêntica.

Carteira de avó -> parecida com a carteira da mãe, mas um bocado mais organizada. Isto porque, após tantos anos a perder tempo á procura do cartão de crédito/multibanco, chegou á conclusão que se for mais organizada, aproveita mais o tempo. Mas mesmo assim... é só papéis!

Carteira de pai -> simples. sem confusão. Cartão do trabalho, B.I., cartão de crédito/multibanco, notas e algumas moedas. A típica carteira preta/castanha que se abre ao meio. Talvez uma lembrança que o filho tenha feito em pequeno, mas como que "escondida", para não se perder.

Carteira de avô -> igual á carteira do pai, mas com fotografias dos netos e um pouco mais de cartões que se acumularam com os anos. Mas nada em comparação com os cartões que a mãe guarda na carteira!

Carteira de criança (rapariga) -> carteira de criança. geralmente cor-de-rosa e a dizer barbie. No compartimento das moedas podemos encontrar um anel de plástico, um cêntimo que a criança encontrou no chão e, um cartão de plástico, não interessa bem do que é, mas serve para fingir de cartão de multibanco quando brinca ás casinhas.

Carteira de criança (rapaz) -> eles simplesmente não tem carteiras quando são crianças. 

Carteira de adolescente (rapariga) -> talões da papelaria da escola. cartão da escola. fotocópia do BI, ou o próprio. Cartão verde para o comboio/metro . calendário pequeno. moedas, não muitas, mas algumas. comprimido para dores de cabeça. papeis que na verdade são recordações, ou simplesmente um pedaço de caderno a dizer "adoro-te" ou outra frase típica que uma amiga escreveu e guardou na carteira.

Carteira de adolescente (rapaz) -> cartão da escola. fotocópia do BI, ou o próprio. Cartão verde para o comboio/metro, preservativo para o caso de alguém ir verificar a carteira deles e parecer responsável, moedas, que também não são muitas. um papel qualquer que guardou por algum motivo, mas simplesmente já não se lembra qual.

quinta-feira, 10 de março de 2011

bolachas ortográficas

Longe de a minha escrita ser perfeita, há coisas que ultrapassam os limites:

"ká estou eu para completar mais uma série...
desta vez vou completar o '' ---- '' como é muito grande em episódios , há gente que metem dois ou três e epesódios e metem episódios mais resentes ...
mas eu vou comesar do primeiro e pisódio até aus ultimos :P
se ensistir algum é pisódio nao postarei ...
espero que gostem do meu trabalho :D nao postarei em RMVB (apesar de ser mais rápido) é uma qualidade razoavel (mas nao muito boa)
postarei em mp4, os vidios ficaram ca para sempre por isso postarei em mp4 (boa qualidade) para verem algo em condições .... :)"


é que isto nem é "outra maneira de escrever" como acontece com aqueles que escrevem com "k" e "x" em tudo o que se parece com uma palavra, isto é simplesmente não saber português

Devias ser proibido de escrever fofinho... ahah

terça-feira, 8 de março de 2011

bolachas e... não sei

"não faças um drama" foi a primeira coisa que me disseste. e eu ainda nem sequer tinha aberto a boca.
Passado um bocado chamas-te-me previsível "já sabia que ias ligar". Novamente, silêncio.
Liguei-te porque fiquei preocupada contigo, liguei-te porque tu não me telefonas-te e, podias precisar de alguém. Não queria saber o que se tinha passado, simplesmente queria saber se tu estavas bem. E tu respondes-me assim. Por momentos ainda pensei que "estavas em pré-histeria" porque a tua voz estava como quando tu queres disfarçar emoções, demasiado animada. Mas depois dei conta que sempre fizeste isso, talvez não seja por mal, mas fazes. e a vida continua.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Bolachas via sms

escrevo, penso melhor e apago, fico naquela guerra interior e volto a escrever e depois penso "isto é estúpido e fora de contexto" e torno a apagar, carrego enviar, carrego cancelar e volto a olhar para o que escrevi. Deixo ficar na mesma e volto a carregar no enviar. Largo o telefone enquanto que ele envia e, assim que aparece o relatório a dizer "entregue a" penso: "estúpida, devias ter escrito"

domingo, 6 de março de 2011

Bolachas estilizadas

Já tive uma melhor amiga semi-hippie, que quando conheci era emo, tive um melhor amigo chunga que depois se tornou menos-chunga e mais 'legalize', também já tive uma que quando conheci era 'indefinida' e depois se tornou beta, tenho outro que no inicio era normal e que agora se veste de uma maneira que não lembra a ninguém e isso faz dele quem é. Há mais outro que está-se a lixar pro que veste e tem alma de 'deixa andar', e outro ainda que simplesmente não sei explicar.
Uma coisa é certa... esquisita é que não sou xD