segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

bolachas com pedaços de pratos

'tas a ver aquelas semanas em que só te apetece bater em toda a gente com um prato e depois mandar tudo ir pastar alfaces para debaixo da árvore? 'tas a ver?!  yah, eu também, e bem de perto...

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Bolachas com um sabor estranho, muito estranho...

Recentemente chamaram-me "estranha", é certo que me chamaram "estranha" mas no bom sentido, porque, segundo quem me chamou de estranha o meu estranho é "fixe". 
Sem reclamar do elogio (porque simplesmente adorei pois não soou nada a falso) fiquei a pensar...
Estranha, eu? Mas.. Porquê? Não tenho nada de brilhante a mais que as outras. Aquilo que eu noto mais de diferente é talvez na sinceridade, porque eu sou realmente muito sincera, quer gostes quer não. Isso faz de mim estranha? Ser sincera é assim tão diferente da maioria? 
Quando comecei este blog, uma amiga disse-me "vê-se mesmo que és tu que escreves" mas porquê? "porque escreves como falas". Mas como raio é que haveria de escrever? com palavras super pra frentex e o caraças só para me armar em intelectual? não fazia sentido, aliás, não faz sentido. 
E no meio desta coisa toda, o certo é que já várias pessoas me disseram que me acham estranha, diferente... mas todas elas dizem que gostam bue da minha maneira de ser, mas... sou estranha. Sinceramente não vos entendo minha gente, mas, uma coisa é certa: Eu realmente não gosto cá de muitos misturanços e adoro ser diferente
. Assim seja, admito: sou estranha, mas vocês gostam e, eu sou feliz assim ^^.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Bolachas com um pedido especial

Eu - vou-te pedir uma coisa...
Tu - (interrompendo) Olha que só faço se for importante
E - E é muito importante, significa muito para mim
T - Diz diz
E- Cala-te por favor

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Bolachas e os conselhos salgados

Ela - é a vida...
Eu - é a vida, e sabes que mais? eu de momento gosto muita da minha.
Ela - olha, deixa-te levar.  No fim vais te magoar. mas isso... depois logo se vê.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Bolachas e os homens nos inquéritos

Hoje agarrei numa daquelas revistas que só falam de sexo e moda para mulheres, a revista era de Agosto mas... li na mesma. Entre os muitos artigos e publicidades havia um que se chamava "o que eles querem", consistia num inquérito feito a homens/rapazes dos 18 aos 45, sendo que a maioria tinha entre 24 e 36. 
Uma (das muitas) perguntas era "se pudesse mudar algo nelas, o que mudava?" 28% (a maioria) respondeu que "gostava que elas criticassem menos". Mas, logo na pergunta seguinte, 36% (a maioria também) diz que queria que elas "dissessem tudo o que pensam".
Portanto, duas perguntas quase iguais, duas respostas totalmente opostas, porque (e vamos a ver se nos entendemos!) ou querem sinceridade, o que inclui algumas criticas obviamente, ou nós sorrimos, somos falsas inventamos qualquer coisa para vos fazer felizes e não criticamos porque os meninos não gostam.

Ah! no mesmo inquérito, a maioria disse que para o iniciar uma relação o mais importante era: 
1º a atracção física (química);
2º inteligência;
3º humor. 
Resta saber se eles dizem isto por dizer ou se é mesmo verdade...

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Bolachas recheadas de sonhos

Eu sempre sonhei por-me em cima dum tejadilho dum comboio. Apenas pela aventura e pela sensação de liberdade. 

Mas os comboios estão cada vez mais rápidos...

Bolachas e êxitos de telenovelas

Entra numa fnac qualquer. Segue pelo corredor até á parte que diz "música portuguesa". Procura por um CD decente. Encontras-te? sim? és o meu herói, ou então não tens gosto nenhum, desculpa que te diga.

Quando chegas a esta secção deparas-te com um monte de CD's, mas quase todos são de êxitos de novelas. É certo que há pessoas que gostam desse tipo de musica, e é a única que ouvem até porque alguns já têm sorte de ver a dita novela, nem foi criticar muito porque já chega de bater no ceguinho gostos são gostos, mas, no mínimo punham bandas decentes um pouco menos comerciais. 
E agora dizem-me: "mas o que interessa é vender"  fixe! ainda bem para ti, mas quando tivermos uma cambada de adultos inúteis em termos de cultura musical, não venhas cá reclamar comigo.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Bolachas e impaciência

Há coisa que me põem fora do sério... como demorares 4 horas a responder...

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Bolachas com falsa modéstia dentro do pote

Até que ponto é que ser humilde é bom?
Está certo, ninguém gosta de gente com a mania snobe e, um bocado de humildade fica bem a toda a gente mas, demasiada humildade soa um bocado a falso. Se há coisa que realmente irrita é falsa modéstia. Quando nos fazem um elogio não é suposto armares-te em difícil o rejeitares. Se te dizem que és bonita é porque o és, caramba! 
Ninguém quer saber dos teus devaneios em que achas (e dizes isto para não te acharem convencida) que és gorda, ninguém. É que até parece que estás a ignorar o elogio. Não é suposto que fiques a achar que és melhor que os outros, mas, o intuito é fazer-te sentir bem. 
E, na maioria das vezes tu sabes quais são os teus pontos fortes, sejam eles olhos/boca/cabelo/alma, por tanto, quando alguém repara neles, agradece, não te ponhas com mariquices do ai-jesus-eu-não-sabia-sempre-me-achei-a-pessoa-mais-horrível-do-mundo  quando tu própria sabes que é mentira e que realmente tens uns olhos/boca/cabelo/alma  fantásticos!

Mas claro, há sempre aqueles elogios que não estás á espera, e esses, são sem dúvida os que te põem nas nuvens os melhores.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Bolachas com bolo de aniversário

E vamos começar, começamos a entoar o habitual "parabéns a você", é sempre igual, um começa baixinho, juntam-se os outros e, como ninguém sabe cantar, fica uma canção esquisita e toda desafinada. Batemos palmas. Segue-se a habitual cena dos beijinhos, como se já não tivesse cumprimentado a aniversariante antes. Todos ignoramos fingimos não ver o esforço que ela está a fazer para sorrir, ela que só queria estar com as amigas, de certeza que houve discussões á pala disso. 
Enfim, não passam de velhos clichés e do "fica bem". É sempre o mesmo: avisa-se a família, mais por obrigação que por outra coisa, dá-se uma ideia das horas, nada em concreto que é para depois ter com que reclamar tá claro. "o que interessa é a vossa presença, não as prendas" mas se alguém se esquece ou assim, é um inferno, todos sabemos isso. Segue-se as reclamações por a família não estar toda, mas, se estivesse iam reclamar poruqe tinham que esperar por a, b, c ou d. e é nessas alturas ditas como "mortas", em que todos esperam por alguém, que ele decide embirrar. Assim que abro a boca, pode ser a coisa mais inteligente do mundo, mas ele tem que se armar em morcão pela simples razão que "tem piada". claro, a culpada depois sou eu porque "estas sempre a responder", ora dizem bem: eu respondo, não inicio a conversa.
Gente complicada...

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Bolachas maria com a receita errada

Vais me dizer que não voltavas para lá? Vais me mentir assim?
Está bem, adoro que me tentem enganar... :b