domingo, 26 de dezembro de 2010

Bolachas com Natais injustos e sumo de limão

Ao ler um blog que acompanho, percebi que nem todos temos um Natal genial, como eu tive. 
Tenho noção que há outras realidades, e, por mais que tente não me esquecer, acabo por me perder em toda a fantasia em que fui criada: Uma grande família feliz, sempre juntos e tudo mais. 
Por vezes nós esquecemo-nos que, enquanto temos a mesa cheia de perus e bacalhaus (e ainda reclamamos porque preferíamos salsichas!), outros não têm nada. Enquanto nós estamos numa casa com aquecedores e acendemos a lareira por brincadeira, muitos estão nas portas das lojas em Lisboa, a tentarem se aquecer. Enquanto que nós estamos em família, a tirar fotografias e a fazer palhaçadas, há pessoas que estão no Hospital, a passar aquele que talvez seja o ultimo Natal que tenham com o avô/tio/padrinho/pai . 
Não é só nesta época que isto acontece, mas, é talvez a mais triste. Porque natal, além prendas e consumismo, é amigos e família, amor e carinho.
Por vezes, devíamos parar um bocado, olhar em volta e pensar no que podíamos fazer melhor pelo mundo, pela sociedade, por estas pessoas que estão sozinhas. E garanto, por experiência própria que, depois de ajudar alguém que realmente precisa, fica um quentinho no coração que sabe tão bem... 
Não é preciso ir muito longe para fazer alguém feliz, a serio, não é preciso ir ajudar num lar ou coisa do género, por vezes basta simplesmente olhar para o lado, e, fazer alguma coisa simpática.
Vê-se na televisão aquelas pessoas a servirem almoços/jantares de Natal, ora, essas pessoas só merecem ser "apreciadas" nesta época? muitas fazem aquilo o ano inteiro, sem que lhes peçam, sem que lhes dêem nada em troca. Estas pessoas mereciam um prémio, todas elas.
Percebo agora, finalmente, que realmente há Natais injustos. E, embora não possa fazer grande coisa para mudar isso, qualquer coisinha que eu faça, pode mudar muita coisa para alguém. Disso, eu tenho a certeza.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dá aí a tua opinião